LALCA: Revista Latino-Americana em Avaliação do Ciclo de Vida http://lalca.acv.ibict.br/lalca Revista Latino-Americana em Avaliação do Ciclo de Vida Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) pt-BR LALCA: Revista Latino-Americana em Avaliação do Ciclo de Vida 2527-0184 <div style="text-align: justify;"><p>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p><ul><li>Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação.</li><li>O trabalho publicado será licenciado com uma licença Creative Commons Attribution que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria de publicação inicial nesta revista.</li><li>Fica resguardado aos autores o direito de assumir contratos de distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro, ou em site próprio), com a condição de reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</li><li>Os autores deverão ceder à Revista gratuitamente e de modo não-exclusivo, os direitos de utilização não comercial de suas obras intelectuais, durante o prazo de vigência dos direitos autorais, para fins de disponibilização pública gratuita e de utilização não comercial.</li><li>Autores têm permissão de publicar e distribuir as versões pre-print e pos-print dos seus trabalhos em repositórios institucionais, bases de pre-print ou na sua página pessoal, imediatamente após o recebimento da nota de aceite do editor.</li><li>Os artigos publicados nessa revista poderão ser livremente armazenados em repositórios institucionais, com a única condição de citação do autor e da publicação inicial nesta revista.</li><li>As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua total responsabilidade.</li></ul></div> Estado da arte da aplicação de ferramentas de otimização com base na avaliação do ciclo de vida na produção de frutos e subprodutos de citrino http://lalca.acv.ibict.br/lalca/article/view/4715 Atualmente, há um crescimento na demanda global por produtos cítricos e derivados, cujos requisitos incluem regulamentos de qualidade ambiental. Nesse sentido, a pegada ambiental do produto obtida a partir da metodologia de análise de ciclo de vida (ACV) e sua combinação com técnicas de otimização fornece uma ferramenta para identificar opções de melhoria no processo e definir os padrões de qualidade. no entanto, existem poucos estudos que aplicam a combinação de ambas as metodologias. O objetivo deste estudo é encontrar coincidências, diferenças e lacunas em artigos científicos existentes sobre a metodologia de ACV e sua aplicação para otimizar a produção de frutas cítricas e derivados. Para tanto, foi realizada uma revisão e seleção do material científico de acordo com as publicações que utilizaram a metodologia ACV, as técnicas de otimização e a combinação das duas metodologias. Em seguida, foram avaliados de acordo com as diretrizes da ISO 14040 e 14044, considerados produtos e função objetivo no caso de estudos de otimização. Nos resultados, observou-se a ausência dessas contribuições científicas para o setor agroindustrial cítrico na Argentina, alguns artigos não seguiram nenhuma diretriz sobre os requisitos das normas do produto (ISO 14025) e as variações metodológicas, geraram resultados diferentes, o que dificulta a comparação entre os estudos que aplicam a ACV, portanto, considera-se necessário que os trabalhos subsequentes sigam uma certa linha metodológica que permita sua comparação e, por sua vez, aumente a investigação da aplicação dessa ferramenta combinada com técnicas de otimização à agroindústria cítrica na Argentina Maria Emilia Iñigo Martinez Alejandro Pablo Arena Todos os direitos (c) 2020 Iñigo Martinez y Arena https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-06-03 2020-06-03 4 e44715 e44715 10.18225/lalca.v4i0.4715 Alocação em sistemas energéticos multiproduto: revisão e proposta de métodos http://lalca.acv.ibict.br/lalca/article/view/4660 <p>Considerando que uma quantidade considerável do calor e trabalho consumidos hoje são produzidos em plantas de cogeração, estudos sobre alocação de impactos ambientais em sistemas energéticos multiproduto são relevantes. Diferentes critérios de alocação de custos podem ser aplicados em análises multiprodutos e a escolha desses critérios impacta fortemente nos resultados. Além disso, a desagregação usada para o sistema analisado influência nos resultados. O objetivo principal desse trabalho é estudar a influência de dois aspectos: (i) nível de desagregação e (ii) critérios de alocação de custos na determinação do impacto ambiental dado pelas emissões de CO2. O presente estudo aborda especificamente aspectos da desagregação da estrutura física e produtiva e critérios de alocação e suas consequências nos resultados da alocação de impactos ambientais em sistemas energéticos multiprodutos. Inicialmente discute-se os métodos comumente aplicados em estudos de Avaliação de Ciclo de Vida (ACV) e sua aplicabilidade aos sistemas energéticos multiprodutos. Em seguida, técnicas termoeconômicas são apresentadas e discutidas. À maneira de exemplo, um sistema de cogeração hipotético para a produção combinada de eletricidade e água dessalinizada é apresentado. Os resultados demonstraram que a termoeconomia permite o detalhamento do processo de formação dos impactos ambientais por meio de critérios de alocação mais racionais baseados nas leis da termodinâmica. Conclui-se que a termoeconomia deve ser usada para alocação sempre que o objeto de estudo seja um sistema energético multiproduto e também quando os produtos não-energéticos possam ser expressos racionalmente por meio de custos exergéticos</p> Monica Carvalho Yipsy Benito Roque Pablo Roque Diaz Alfredo Alejandro Leyva Cespedes José Joaquim Conceição Soares Santos Marcelo Aiolfi Barone Júlio Augusto Mendes da Silva Todos os direitos (c) 2020 Monica Carvalho, José Joaquim Santos, Júlio Augusto Silva, Yipsy Benito Roque, Pablo Roque Diaz, Alfredo Leyva https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-07-18 2020-07-18 4 e44660 e44660 10.18225/lalca.v4i0.4660 Emissões de GEE evitadas em Cabo Verde: estimativa em um cenário de adoção de fontes energéticas renováveis em 2025 http://lalca.acv.ibict.br/lalca/article/view/5077 <p>Em 2017 Cabo Verde apresentou um plano para ter, até 2025, ao menos 50% de sua energia elétrica sendo gerada por fontes renováveis. O objetivo deste artigo é estimar as emissões de gases de efeito estufa (GEE) que seriam evitadas caso este plano seja executado. Foram verificadas quais seriam as fontes de energia renováveis mais adequadas para serem utilizadas no arquipélago. Considerou-se a avaliação do ciclo de vida (ACV) destas fontes renováveis para estimar as emissões de GEE associadas à sua utilização. Foram calculadas as emissões que seriam evitadas com a não utilização de usinas termelétricas para gerar a energia que passaria a ser fornecida por fontes renováveis no período indicado. O balanço entre as emissões evitadas e aquelas relacionadas ao ciclo de vida das energias renováveis mostrou que deixariam de ser emitidas anualmente 210,8 MtCO2eq</p> Gabriel Leuzinger Coutinho João Nildo Vianna Todos os direitos (c) 2020 Gabriel Leuzinger Coutinho & João Nildo Vianna https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-06-03 2020-06-03 4 e45077 e45077 10.18225/lalca.v4i0.5077 Avaliação do sistema de gestão de resíduos sólidos urbanos de Quito - Equador através de análise de ciclo de vida http://lalca.acv.ibict.br/lalca/article/view/5206 <p>Na América Latina e no Caribe, o processamento adequado de resíduos através do uso de aterros sanitários é de cerca de 55%, enquanto os municípios com planos de gestão de resíduos sólidos urbanos (RSU) são cerca do 20%. Em Quito, por exemplo, aproximadamente 2000 ton/dia de resíduos sólidos são coletadas e depositadas no aterro de El Inga. O objetivo deste estudo é avaliar a gestão de RSU de Quito através da abordagem da avaliação do ciclo de vida (ACV). Para atingir esse objetivo, seguiu-se a metodologia ISO 14040 e o SimaPro 8.4 o software utilizado na análise. A unidade funcional utilizada é de 1 tonelada de RSU, enquanto o material de estudo foi o lixo gerado em residências, no setor comercial, escolas e mercados; cujos valores foram obtidos das empresas públicas EMASEO-EP, EMGIRS-EP e dos dados de acesso aberto da cidade. Os resultados mostram que o uso de biogás proveniente do aterro sanitário permite uma redução nas emissões de gases de efeito estufa (GEE), tornando a unidade de biogás como o processo com o menor impacto ambiental. A compactação e transporte de RSU apresentou um impacto ligeiramente superior em relação ao processo anterior, apresentando o segundo melhor desempenho ambiental. Por outro lado, o tratamento de lixiviados mostra o maior impacto ambiental de acordo com o modelo, apesar de que os efluentes não excederem os limites permitidos pela legislação ambiental equatoriana. Os investigadores consideram a análise das técnicas de compostagem e digestão anaeróbias adequadas, como opções complementares para reduzir esse impacto ambiental, devido à predominância da fração orgânica nos resíduos analisados</p> Cristhian David Chicaiza Ortiz Vanessa Pamela Navarrete Villa Christian Orlando Camacho López Ángel Fabián Chicaiza Ortiz Todos os direitos (c) 2020 Cristhian David Chicaiza Ortiz, Vanessa Pamela Navarrete Villa, Christian Orlando Camacho López, Ángel Fabián Chicaiza Ortiz https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-07-24 2020-07-24 4 e45206 e45206 10.18225/lalca.v4i0.5206